PT | EN | ES

Menu principal


Powered by TEITOK
© Maarten Janssen, 2014-

CARDS9192

1822. Carta de um dos membros da quadrilha de João da Mata para seu tio.

Autor(es)

Anónimo 68      

Destinatário(s)

Anónimo 254                        

Resumo

O autor envia uma carta de extorsão a seu tio, ameaçando-o de morte, caso não cumpra as exigências feitas.
O script do Java parece estar desligado, ou então houve um erro de comunicação. Ligue o script do Java para mais opções de representação.

Meu Tio isto he pa Vmce ter mais amizada a este seu sobrinho esta he a Resposta q eu lhe mando da Carta dos meus amos e Veja bem como cumpre esta palavra e o que elles lhe ped pa mim p m Vejo na huma prizão e Vmce não se lembre do seu sobrinho q lhe tem dado tanta dinhro a ganhar; e mais os meus companheiros eu aquy não lhe posso Valer eu q pertendo he este dinhro sem demora do tempo pois he mto preçizo, e asim qro aReçeber entre em quatro dias quando não mando mattar tudo qto tem mando encher corpo da facadas não quera ficar perdido p tão pouca dinhro se lhe mandar alguma carta q não leva sinal egual q Vmce tem não faça cauza della, Vmce mto bem conheçe o meu sinal q eu lhe mandey q he d obreia feito p modo de hum sello e pegado na mesma Carta, mandara este este dinhro ao Hospl da Sta Clara entregue ao João da Matta prezo da Gallea na 2a Emfermaria o portador ha de levar da ma mão hum sinal egual q Vmce tem e hum recibo em como foy entregue. Cuidado si falta

Deste Seu Creado João da Matta

PS Dará meia moedas ao portador desta do mesmo dinhro e mandame a demazia


Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Guardar XMLGuardar selecção atual como TXTVisualização das frases