PT | EN | ES

Menú principal


Powered by TEITOK
© Maarten Janssen, 2014-

PSCR1130

1596. Carta de Diogo da Horta, mercador, para António de Melo, solicitador de causas.

Autor(es)

Diogo da Horta      

Destinatario(s)

António de Melo                        

Resumen

O autor dá instruções relativamente aos sinais de que o destinatário se deve socorrer para lhe transmitir informações sobre a prisão do irmão.
Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

memoria pa o snor Anto de melo levandoo ds fora daqui como cõfio sera mto sedo ira a minha caza e fara o q lhe tenho dito comprara pente q paresa velho se achar meu Irmão morto quebrara canto dele e mandarmoha se meu Irmão estiver prezo pora 2 Raias de alto baxo no pente de cada banda hũa ao cõprido e se estiver solto tendose ja acuzado antes de ter o avizo q lhe mãodo pora hũa aRaia somtes ao conprido e se estiver solto dandolhe meu recado pora atravesado hũa Raia e afora Isto fara ho da taramela sinal q esta prezo e o da mão de almofaris sinal q esta solto se meu Irmão Istiver solto e tendose ja antes q Recebese Recado meu acuzadose me dara de fora sinal hũs cascaveis de bolfalinheiro a carapusa tirando as 2 linhas sinal de morto as 4 q esta prezo e vindo todas as linhas sinal q esta solto e dando as 2 tezouradas q se tera acuzado antes q Resebese meu Recado a carapuza forada


Leyenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDescargar selección actual como TXTVisualización por fraseSyntactic annotation