PT | EN | ES

Menú principal


Powered by TEITOK
© Maarten Janssen, 2014-

CARDS3196

1627. Carta atribuída a João Gomes Lopes, confeiteiro, mas assinada com o nome de João de Borba Rolão, para o seu irmão, Francisco da Fonseca, confeiteiro e mestre de meninos.

Autor(es)

João Gomes Lopes      

Destinatario(s)

Francisco da Fonseca                        

Resumen

O autor, sob falsa identidade, repreende o seu irmão quanto à sua atitude de abandonar mulher e filhos.
Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

Muito sobresaltado fiquei com hũa carta q me mostrarão de vm, que pareçe, q ou vm não entende ou está cego, pello q tanto vai a todos, e o q vai em vm se resolver em não pareçer, pois o perigo esta certo, q disse cristo na boca de dous ou de tres esta toda a pallavra, e quem foi tão vertuoso q o alcancou devia dar mtas graças a ds, e buscar remedio e não lhe lembrar molher nem filhos, q não he isto com q se a de zombar e o perigo he certo, e certissimo, não ha filhos nẽ molher nem pobreza q detenha vm esta amoestado, e avizado bom não, aguardar lhe digão maes; q a vm a sua molher e filhos ha ds de remedear, q ca não ha com q q levou ds sua cunhada e ficou a casa de todo acabada, e quando possão assim farão mto, e comtudo, farsea o que se puder fazer, sem q se falte em nada e vm não tem q esperar senão a caida do ceo, Avizo porq importa fazello, e se vm o não faz dara larga conta a ds q lha tomara mui estreita ds gde vm mtos annos Lxa 15 de Junho de 627 annos

João de Borba Rollão

Leyenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDescargar selección actual como TXTVisualización por frase