PT | EN | ES

Main Menu


Powered by TEITOK
© Maarten Janssen, 2014-

PSCR1280

[1600]. Carta de Álvaro Vaz para Dom Teodósio de Bragança, arcebispo de Évora.

Author(s)

Álvaro Vaz      

Addressee(s)

Dom Teodósio de Bragança                        

Summary

O autor dirige-se ao Arcebispo de Évora dando-lhe conta das injustiças que diz ter sofrido perante a Inquisição, pedindo intervenção na restituição da sua honra e do seu bom nome.
Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

Illustrissimo Snor

Dee nosso Snor a VS spirito de verdadeiro, e sancto pastor, ao qual officio cõvẽ não espedaçar, mas apascentar, dar vida, cõservar, defender, e por a vida o verdadeiro pastor Xpõ meu Snor, por impedir tantos pecados mortais de testimunhos falsos, quantos se cometẽ cada dia nas casas da Inquisisão de Portugal, o qual tanto se alegra o inferno (como a fe nos ensina) e tanto festejão os Inquisidores ,como a experiencia fes co-nhecer, q sei de certa sciencia q servẽ as Inquisisões de Portugal de escolas pa ensinar judaismos e heresias aquelles q não sabendo mais q ser christãos, erão mais Catholicos q os Inquisidores, ho q testimunho, e sei de certa sciencia: e tanto q oje en dia trabalho de reduzir almas a Xpõ meu Snor, as quais elles laa nas Inquisisões os mesmos Inquisidores perveterão, ou forão causa de sua perversão, e perdissão: de modo q são as Inquisisões de Portugal alfandegas do inferno onde se pagão aos demonios tributos de juramẽtos falsos, e testimunhos falsos, e tantos males se seguẽ, ho qual an de pagar a Ds mui bem os Inquisidores, não ficando isentos de culpa hos que pelos Inquisidores indusidos, ou movidos de ame-aços, ou por tormẽto cometẽ as tais culpas, que isto sei de certa sciencia, que o anno que injustamẽte, como Anas, Caiphas, e pilatos injusta e falsamẽte derão cõtra mim sentença, matarão os Inquisidores tres pesoas tormẽtos, Manoel Thomas escrevẽte de Evora, e frco doliveira de Villa vicosa, e outra pesoa de Serpa, e quãtos quãtos testimunhos falsos forão queimados? Ds ve, e affirmo q sofre milhor Ds os hereges de Gineva, e Rochela, do q lhe agrada a Inquisisão de Portugal. E se VS pode escusar de culpa na morte de Xpõ nosso sor hos q ho julgarão, assi podera escusar os julgadores da Inquisisão, E quer VS saber quanto, q ameacandome, e fasendome diser testimunhos falsos disião q assistia naquella mesa o spiritu sancto, no q sei de certa sciencia q blasfemavão perq o spiritu sancto não pode assistir a falsidades: de modo q deles mesmos per altos juisos de Ds e pa perdissão sua, estaa escondida a diabolica invenção q procedẽ. Eu lhe escrevi quatro veses retratando me dos testimunhos falsos q ameaços de morte desestrada me fiserão diser, satisfasendo ao preceito de meus cõfessores VS per ver a carta q outra ves lhe escreva a qual pesso seja primeiro mostrada a mesa da cõsciencia, e aos snres Gouvernadores e aos desembargadores do passo, e a todos os doctores Theologos de Portugal, e obrigo a todos per preceito de charidade christã, mandẽ e fação restituir e restaurar a honra de Ds causarẽ tantos males a seu sacerdote, e escandalisarẽ os catholicos cuidando aver caido sacerdote culpas hereticas, e alẽ disto pa q outros per meu exẽplo não caião culpas, ou heresias, q falsamẽte me forão impostas e obrigo aos Inquisidores sub pena de maldicão de Ds q me restituão toda a honra, e danos q causarão. Alegresse VS q teve seu bispado sacerdote q ainda q não tam dignamẽte todavia legitimamẽte fasia seu officio no q a elle tocava, q sempre tive intẽção de celebrar, e cõsegrar na missa, sempre tive intenção de absolver, tanto q acõtesia per escrupulo repetir duas vezes a forma da absolvicão e assi seja eu absoluto a hora da morte pelo cõfessor como tive sempre intenção de absolver; e assi nos sacramẽtos q ministrei e recebi; tive sempre a divida intenção: pelo q pesso a VS e ainda obrigo mande publicar isto as terras de seu bispado pa bem de Ds a qual deve prevalecer mais q o credito dos Inquisidores, e não os tema VS q isto he obrigacão de direito natural q tem forca cõtra todo o positivo. E digo q q envejando o demonio as cõfissões invalidas q pela pregação do Evã-gelho do demonio mudo na dominga da quaresma me vinhão a mão, e sabendo como eu ẽcaminhava as almas, misit in cor eorũ, dos Inquisidores, ut traderer ego; vierão me cõfissões de dous annos, de anno, de sete, e de desoito, huãs per vergonha de cõfessar culpas, outras per ignorancia de cõfessores, isto quis o demonio empedir tomando por instrumẽto aos Inquisidores, q ouso affirmar q per hũa invencão deles mesmos não conhecida, mas não sem culpa de christãos e mui Catholicos, fasẽ hereges perdẽ as almas e as asuas, e ficão imigos de Xpõ, e sei isto de sciencia Mas quãto a mim tirando Ds bens de males daa aprender per diversas partes do mundo diversas li linguas pa q nelas tendo todo o mundo per aposento sirva a Ds q hũa per ameassos dos Inquisidores ho offendi. Não ouvera de deixar Dom Luis de Portugal de ver e ajudar os filhos do doctor Lopo Vaz q ho devia, e lhe affirmo q forão sempre e são mais christãos q elle; e q elle he obrigado a pagar cõsciencia cento e setenta mil rs q a Snrã Condessa devia a meu pai, e isto de dinheiro ẽprestado, o qual he obrigado o Sor Dom Luis a pagar a diogo doliveira meu cunhado, e os theologos q outra cousa sentirẽ, não sentẽ bẽ na cõsciencia, Ao padre frei joão de Portugal q ouvera elle mais de crer a experiencia de toda a vida do Doctor Lopo Vaz, e seus filhos q as falsidades causadas per invenção e ameassos dos Inquisidores, os quais pa remedio de sua alma tem necessidade de restituirẽ tantas honras, vidas, bens q per meios injustos e illicitos forão causa q fossem diminuidos, e abreviando as falsidades, foi condẽnado Mestre Alvaro surgião, e mui Catholico, trinta ou quarenta testimunhas todas falsas. hai hai dos Inquisidores, e dos perjuros! Cuidavão os Inquisidores de acreditar sua Inquisisão comigo e não fiserão outra cousa q publicar ao mundo minha christandade e manifestar, e faser notorio a todas as nações as falsidades, e juramẽtos falsos q nas Inquisisões de Portugal cada dia se cometẽ, de q os Inquisidores darão estreitissima conta ao justo juis Xpõ. q ha no mundo q se ganhẽ bispados a custa de minha honra, a Ds a vingança. Do q tudo fica claro q não pagou VS bem a Roma pois retorno das verdades Catholicas q de Roma procedẽ VS lhe pagou livros ou cartapassios de testimunhos falsos, e de falsidades e mẽtiras q os Inquisidores fiserão diser, q chegão a festejar tanto falsos testimunhos, q ẽvolvendoos velludo carmesim lhe dão o proprio lugar q a Igreja sancta e mai minha, da e ordena aos evãgelhos de Jesu Xpõ pa serẽ publicados, Ds vee aguarda e dissimula, e espera faserse restituissão de tudo, o q se não fizerẽ não tẽ salvacão. do q tudo fica claro q tem VS obrigacão cõsciencia de rescrever a Roma como tudo cõtra mim forão falsidades, e juramẽtos falsos e todas as falsidades me fiserão diser os Inquisidores ameassos de morte desestrada do q tudo largamẽte me tenho muitas veses retratado. Eu espero Ds faser penitẽcia, e os Inquisidores sẽ me faserẽ hũa restituicão per todo o mundo, he de fe q não tem remedio de salvação. E nosso Sor a V S longa vida seu servisso e faça por não perder a gloria.

Servo de Xpõ Alvaro Vaz

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload textSentence view