PT | EN | ES

Main Menu


Powered by TEITOK
© Maarten Janssen, 2014-

PSCR0649

1736. Carta de Domingas Rodrigues para o seu marido, Luís dos Santos, carpinteiro.

Author(s)

Domingas Rodrigues      

Addressee(s)

Luís dos Santos                        

Summary

A autora responde ao marido, criticando o facto de ele lhe ter pedido para ela não o tratar por marido, antes por parente. Diz ainda que lhe enviará um linho pedido e comenta haver rumores quase certos de que ele estaria casado no Brasil, onde teria dois filhos.
Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

J M J Cercoza 20 de janro de 1736 as

Meu Primo e sor não sei como tempere estas gaitas: eu Escrevovos como a espozo e vos quereis seja como parte serto he q o sois pois ja me deixastes hũa fa por prenda vossa agora ja este titalo não vos serve que he o proprio falarvosei a vontade pois bem sabeis q senpre em tudo vola fis de q me peza: porq se vola não fizer outro gallo me cantara; mas ja não tem remedio e asim respondendo a vossa carta digo resebi a vossa carta que mto estimei por nella me asigurares lograis saude esta vos de Ds por largos annos e vos abra os olhos, e emtendimto pa conheseres o q me deveis e mo venhais pagar em servisso do mesmo sor e pa dispores da q posuimos q esta certa a vossa obidiencia

Ora Primo na vossa me dizeis fostes desta terra Ocorido: não sei q tenhais rezam pa tal dizer: porq não levares o q vos hera nesesario: não ha pesoa nesta vida q tenha tudo o de q nesesita: o comprar a hũs e a outros bem eu asim o fasso: eu esperava este anno por vos me mandais dizer vireis pa o outro asim o espero em Ds o dro sempre serve de disculpa pa o cobrares ja noutra me dezias o mesmo emqto ao pano de linho q me pedis não vay porq não o tenho preparado por cuidar na remessa delle por falta de via por qm volo agora darei orde a elle e volo não negarei o mais que eu tiver q tudo me paresera pouco pa ofertar qdo Ds vos trouxer diante dos meus olhos e no emtretanto em havendo ocazião hira o vosso cunhado M S Roiz pa volo remeter no cazo q vos dizeres mais visto agora não poder ser

Emqto ao q me dizeis q eu vos mandei dizer q queries cazar nessa terra com rezam pois as notisias q tenho he q ja tendes dois fos e que he hum morto verdade verdade sim falei neste particullar a qm escreveu a carta pa vos hir mas não com tenção de De se por na carta porq eu sei desimullar mtas coizas e não comsidero tal havies de fazer porq pa vos Deos ajudar haveis de pagar o q deveis e este vosso dizer forão setas q me destes e tãobem o dizeresme que não punhes duvida em vir pa; esta terra mas q series coando não ouver mais mandos q corer foi rezam de cabo de escoadra: porq ahi não ha mais q hum mundo e vos quereis ver mais sera no outro depois de fecharmos os olhos: e escuzai esse pento q inda que andeis toda a vida não haveis de chegar ao cabo deste; e se não vieres logo pa vossa caza daremos credito ao q se dis As imquirisois q me mandastes pedir não vão agora mas eu me não descuidarei se Ds vos trouxer pa as mandareis O Capam Pedro da silva inda he vivo e o Capam João Andre tãobem não tenhais pena por hiso q brevemte as ei de tirar

Eu todos os annos vos escrevo mas como não sei a monção da frota não chegarão duas a tempo de hirem e asim me antesipo em mandar esta tão sedo pa que vos va e aseitay recados saudozos de min e de todos desta caza e dos vezinhos e parentes com isto Ds vos gde mtos as Cercoza dia mes e anno Ut supra

Vossa Prima e mto amte Domingas Roiz

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload current view as TXT