PT | EN | ES

Main Menu


Powered by TEITOK
© Maarten Janssen, 2014-

PSCR0527

1749. Carta de António Figueira de Jesus, sapateiro, para o seu pai, João Figueira.

Author(s)

António Figueira de Jesus      

Addressee(s)

João Figueira                        

Summary

O autor dá notícias suas ao pai e pede que este e a família o ajudem com os banhos do seu casamento.
Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

Meu Pay e Sor João figuera

Não sei ja a conta das cartas q tenho escrevido a Vmce e aos sonhores meuis cunhados sem ter tido reposta de nemhuma athe o prezente porem como vim dezejozo de saber da saude de Vmces p hessa rezão he q me canço a escrever tanto eu não escrevi no navio de ça coando ça esteve em corenta e sete p estar doente no tempo q ele estava pa partir boteime pa o Re a mandar cartas a Vmces e o navio tinha ja partido dois disas antes q eu foçe não tive essa fortuna suponho que Vmces ja serão sabedores q eu estou cazado ja a sinco annos cazeime na era de mil e setesentos e corenta e coatro a dozoito de maio tenho pedido a Vmces todos nas cartas q escrevo me mandem os meus banhos despaxados em fama dereitos q me estou vendo apertadicimo p os banhos o fiador apertado eu apertado não sei como me veijo isto ça apertase mto e pagaçe todos os anos se acrecenta cada ves mais a porção asim q não lhe posço emcomendar mais a Vmces todos os parentes e padrinhos emvio minhas lcas e a todos os mais conhecidos eu não tenho perdido as esperancas de ver a Vmces todos pq ainda faco tencão daqui mais a par de annos hir a tera ainda q ja não tenho aquele gosto de ver minhas irmã q ça tive novas pelo navio da tera q herã mortas o coal sentimto so p morte se me acabara eu cazei me nesta tera p Ds o ter prometido não q eu o coidase porem como cazei com huã mulher branca cristamvelha das pricipais da tera com seuis parentes quilerigos e não cazei com fazenda porem não careço pa pacar de pedir p mce de Ds Vmces coando fizerem la os banhos minha mulher se xama D Firmiana Luiza Gomes das merces meu sogro ja he morto xamavaçe Domingos Gomes Xaviel minha sogra he viva p mce de Ds xamaçe D Anna Ma de mellos de albuque são naturais moradores desta freguezia de São Lco De S Lorenco da mata de pernabuco donde estou morador mesmo dentro da matris fora da cidade de olinda seis legoas, e he o q se me oferece a dizer a Vmces e coando Vmces mandarem os banhos seje p pca segura e mande dizer o q custarem pa eu mandar sastisfazer se vier navio da tera pa ça mande e coando não p São miguel p o portador q eu agora escrevo q he homem p nome Jozeph tavares rapozo q me dis tem hido mtas vezes a terra e seuis cunhados p ele pode Vmce mandar afoitamte q he seguro e coando ele não va pa a tera emvi Vmces a são Miguel a ele pa remeter pa ça q elle o fara eu não mando sinal de amor a Vmces pq temo não seje como as cartas q nunça xegaro no q me parece e não tenho mais que me oferecer a Vmces nestas partes do q ficar sempre sugeito aos seuis mandados como tenho de obrigasão fazer e peço a Vmce me não falte com sua bencão e sua filha tãobem lha pede emvia suas lcas a minha irma e cunhados e parentes e se ofereçe p criada de Vmces e Ds Gde mtos annos São Lorenco da mata 18 de abril de 1749 annos

de Vmce Meu pay e senhor João figuera filho mto obediete e omilde athe a morte Antonio figuera de Jezuis

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload current view as TXT