PT | EN | ES

Main Menu


Powered by TEITOK
Maarten Janssen, 2014-

CARDS6066

1829. Carta de Ezequiel de Moura Veloso, ajudante de boticário, para José de Moura Veloso, seu irmão.

Author(s)

Ezequiel de Moura Veloso      

Addressee(s)

José de Moura Veloso                        

Summary

O autor manda ao irmão as últimas notícias sobre a luta entre liberais e miguelistas, mostrando-se confiante numa vitória liberal.
Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

Recebi a tua de 18 de Maio, e sinto o teo disgosto nascido da ignorancia que tens sobre couzas tão publicas. É verdade que a gazeta dava a Menina pa o Rio, mas porq por não dizer q ella vinha para Portugal, e isto ja é mais velho que o cagar: ora pois o q te digo livre de toda a duvida, é que ella está não por mezes, mas por dias a esperar-se, sobre o que tenho a dizerte o q à mais fresco. O Paquete penultimo vendo da Inglaterra, chegou no dia 16 do passado, e o Capitão d'ella logo que se pôz em terra deo vivas á Regeneração Portugueza, á carta, e a Snra D Maria . O povo seguiu, e continuarao os vivas ate aos prezos do Limoeiro, porem a Policia suffucou este barulho, mas não obstante isto matarão 6 Marujos do Paquete, prenderão o Capam e o maltratarão, porem um Fidalgote o livrou, e fugio com elle pa a Inglaterra. No Paquete intrado no dia 28 do passado, apanharão-lhe a mala e tudo o mais que trazia, pa se não espalharem as ultimas noticias, mas não obstante isto sabe-se do Capam d'elle, que a cavalaria Ingleza ja vinha no Mar, e a Infantaria qdo elle sahio vinha-se dirigindo pa os portos aonde havião de imbarcar D M foi intimado ja pa sahir de Portugal, com tanto que não ficasse na Peninsula, e mandou um d'estes dias um Paquete para a Inglaterra, e suppoem-se ser a pedir o lugr para a sua habitação. Os Lazaros ja não tem sangue, as pernas ja os não ajudão, e a lingua tolheo-se-lhe. As Authoridades aqui andão na Policia a mais ativa e por momentos apresão a sua sorte, finalme todo o Portugal espera por momentos a Liberdade. Manda-me dizer logo que esta recebas se vens por aqui, e adeos que estou a abraçar-te por momentos

Sou o teo do C 2 de Junho de 1829 M

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload textSentence view