PT | EN | ES

Main Menu


Powered by TEITOK
© Maarten Janssen, 2014-

CARDS6050

1817. Cópia de carta de Francisco Quintino da Cruz, mestre de iate, para Manuel Antunes, negociante.

Author(s)

Francisco Quintino da Cruz      

Addressee(s)

Manuel Antunes                        

Summary

O autor suplica ao destinatário que tome o seu partido e o ajude a enfrentar a fúria do patrão. Confidencia intenções de suicídio e promete cooperar na compensação dos prejuízos que causou nos negócios do destinatário e do patrão.
Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

Bordo onze de Fevereiro mil outtocenttos e dezassette Senhor Manoel Antunes

Quando vossa Merçe me apareçeu com o Pattram fiquei satisfeitto fiquei de alguma De alguma forma consullado porque enconttrei em ambos o que he proprio das suas nobres almas veio segunda ves o Pattram e me deixou ahinda descançado porem hoje onze do correntte que veio terçeira ves me deixou nas maiores angusttias de aflição que nem pude jantar tudo aborreço nem gosto que me fallem e andando a passear com a mi Com a minha afliçam sobre a cobertta destte Hiatte tenho tido impettos de atirar commigo ao mar para nam sofrer maiores tormenttos de afliçoens porem a reflexam de dois inoçenttes filhos me acordaram que escrevesse ao Pattram e tambem a vossa Merçe para que nam faça atear o fogo que tenta queimarme anttes sim na prezenca Na prezença do Pattram faça de bom Padrinho para que com tranquellidade vamos a tratar de recuperar os perjuizos

Vossa merçe nada enteressa em concorrer para perder hum Paỹ de famillias dezemparadas e innoçenttes he proprio das almas nobres valler aos aflittos se o Pattram esttes primeiros lançes Lances da sua paixão me perder depois nam puderá vallerme e nem ficarei capas enttam de ser bom para mim nem para outtros

Vossa merçe ja foi e he ahinda tambem meu Pattram eu sempre a vossa Merçe dei boas conttas nada mais lhe digo senam que se compadeça de mim que faça com que vamos tentar Tentar huma viagem para recuperar o perdido e eu farei tudo que vossas Merçes me ensinarem e nisto deve vossa Merçe enttenderme que eu posso fazer tudo com belleza e vossa Merçe he Paỹ e tem filhos e nada entteressa com a minha perdiçam e os afllittos he que perçizam socorro que he quantto lhe pede

Seu Amigo aflitissimo Aflitissimo F Q da C

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload current view as TXTSentence view