PT | EN | ES

Main Menu


Powered by TEITOK
© Maarten Janssen, 2014-

CARDS5158

[1818]. Carta de Ana para Ana Augusta Ferreira de Mures, sua sobrinha.

Author(s)

Ana      

Addressee(s)

Ana Augusta Ferreira de Mures                        

Summary

A autora informa a destinatária, sua sobrinha, sobre a situação do irmão, que está preso.
Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

Anna Augusta

Nada de te mortificares Com os revezes de teu Irmão tumalos Como mandados ao Çeo que numca são pa nosso mal; Louvemos a qm o q inda Castiga Com mta mizaricordia Se os Stos os Sofrem qdo Ds lhos manda Sem o mereserem Como o não. Sofreremos nós que o meresemos: Eu nada delle Sei Senão q o Crime está na Intenda e o Corrigidor dise a Sua Irmãa e dizia q os Coittos lhe tinhão ido pedir mas não boas Esperansas dali hirá pa onde Ds quizer, elle não tem nem quem nem huma unica pessoa a seu favor todos dizem é mto mau homem ali estará toda a sua Vida e eu se me tem ido qto tinha de provimto pa á ma Caza pois de Fora elle inda iria suprindo, mas outro homem ca Mai não pode ser nem la posso q tanto me não farião a mim em iguaes sisConstas faso pelo amor de Ds emqto posso q em não querendo o mesmo Ds me não obriga Ja se lhe venderão as bestas e aDs Joanna da bem Conta pedio por elle o Juis do Crime elle lhe dise q o Crime não estava na sua mão e q era Couza diabolica e Armas de Fogo, faca e huns ferros de prender os dedos. Nosso Sor mto farto das suas ofensas lhe está dando os agradecimtos Eu não qro pedir mais pa não ouvir o q me emvergonha ate hum Sugto de Coimbra dise a huma Sra deste Convto Sra não pesa por este homem q não sabe o q pede - emtão qm ha de falar em tal óh Anna o abuzo dos meus condos está Ds pagando Com lhe dar o q Eu sempre pensei Izabel Porcea me dise na ma Cara Sra D Anna Eu estive em salReo e sei seu Sobro é mto terrivel e não é Ladrão o q furta na estrada tem-bem o q não paga a qm deve: isto tem elle não ho-mem q sirva a suas Irmans senão de mta Ruina Eu tenho das suas Sobras mas o mal fizeram ellas mesmas a si, ora asim mmo tem pedido mto o seu Irmão as Sras das Lagrimas mas nada. tenhão satisfasão tratem verde pa Ds os ajudar. teu Irmão tem sido perguntado pellos Menistros Cada dia dis sua Couza qdo o q se dis á - primra ves Se dis sempre, inda o Juis do Crime ardeu Com estas tolisses está em Coimbra avaliado teu Irmão pello maior Asno do mundo Eu até tenho vergonha disto e tua Mai hum bandalho pellos tribunais q Cauza não mas Rizo de porca e Rota, as Servtas bem o dizem na Porta grasas a Ds q não falo Com ellas Saudes a Ludevina e da Joaqna Luiza e Frca emcomenda-te a Vossa Sra e não tenhas soberbas q essas estão bem abatidas tua do C

Anna

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload current view as TXTSentence view