PT | EN | ES

Main Menu


Powered by TEITOK
© Maarten Janssen, 2014-

CARDS3159

1723. Carta de Tomé da Mota Barreto, padre, para a Inquisição de Coimbra.

Author(s)

Tomé da Mota Barreto      

Addressee(s)

Inquisição de Coimbra                        

Summary

O pede a sua libertação, dizendo-se inocente dos crimes de que é acusado.
Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

Illmos; E Rmos Sors

Aos pêz de V Illmas o Pe Thome da Motta Barretto, natural da Cide de Braga, e prezo ho tempo de dôus annos, sem haver commetido Culpa algũa mais q tão somte por assim ser vontade de seu Prelado: q sendo padecido mtas morteficações sem lhe darem Livramto Como ja o suppte a V Illmas Reprezentou: aggravou o suppte pa a Coroa de S Magde donde, mostrandose o suppte sem a mais Leve culpa foy mandado q fosse solto E aliviado de toda a culpa, e pena: e por se não dar Comprimto as Cartas rogatorias q da Rellação do Porto se passarão a favor do suppte se deu conta a S Magde o qual por duas cartas suas mandou q o ouvidor da Cidade, notefiçasse ao Vigario geral dessa, para q dentro de vinte dias peremptorios aparecesse no seu Dezo do Passo a dar a Razão; por q não comprio as suas ordens: E Como não foy, como era mandado. Estâ para se tomar no Dezo do Passo, neste nego o assunto, e ultima resolucão q for justiça: e Como tambem vio o ditto vigario geral q o suppte tinha mta justiça, e razão, e q não queria ceder o suppte do seu Dirto para mais ser o suppte vexado e opprimido injustamte e çeder do seu intentto mandou de poder absoluto para a enxovia onde Estâ ha 4 mezes, sem o suppte haver dado cauza para se lhe estreytar a prizão. E Sucedendo isto assim aos 26 do mez de outubro do anno proximo passado; estando o suppte hũa tarde rezando o offiçio Divino. Chegarão ao do Aljube. o Meyrinho geral Faustino Ribro; e o Agente da Mitra Manoel Pra e o Aljubeyro Anto da Costa, pa Lançarem o suppte a enxovia sem haver cauza pa semelhante eXcesso e perguntandolhe o suppte pella ordem, responderão q lha não querião mostrar; chegarão Logo no suppte â força e o arrastarão pello cham Com Breviario nas mãos: e vendose o suppte tão vexado Começou a cclamar a voX de El Rey, para onde tinha recorrido, e pello sancto. officio, q lhe Valesse, q o querião fazer arrenegar, est do demonio, sendo o suppte hum sacerdote mto Catholico, E mto amigo de Deos, q protesta morrer, e viver na sancta fe catholica de Nosso Sor JESUS Christo, a qm offerece todos os seus trabalhos, e morteficacoes, pellos q por nôs padeceo na arvore da Vera Crux; Este na verde o cazo de q são testas o Pe christovão de Mages e o Pe Anto da Trinde e Franco jacome do Lago. Estão na da prizão dous clerigos sentenciados pa a India por Crimes facinorozos E mto mal inclinados Einimos Capitâes do supte pellos não deixar fugir da da prizão chamados o Pe Jozeph da Costa , e o Pe Viçente do Púga os quais escreverão contra o suppte ao rdo Abbe de S João do souto da da Cide e commissario do sto officio dizendolhe falçamte q o suppte arrenegara dando por Testemunhas a hum Antonio sarmento secular, e o Pe Franco Lopes tambem einimos do suppte e informandose o do Rdo Abbe da verdade achou q era falço, o q elles dizião, Como he: pois o suppte he Theologo q tem defendido em publico as mayores materias da nossa sancta Catholica; Etsi aliquid contra idem dicesse, o q não disse não estaria o suppte Em seu juizo perfeito, do q tudo, q houvesse se desdiz. pois ha de ricorrer o suppte pella de JESUS christo. o Fim destes inimos dizem, q era para se vingarem do suppte, pellos não deixar fugir do Carcere onde estão Como Tambem do do vigario geral e pellos haver sentençiados para a India. Em como por esta via não pegou Esta falça queixa destes inimos Tem o suppte por notiçia, q o do Pe Jozeph da Costa escrevera a este Sancto Tribunal porq assim teô anda publicando como inimo do suppte e assim fâz o suppte o mesmo dizendolhe a pura verdade e advertindolhe o animo odiozo destes inimos q devem ser castigados, por andarem com semelhantes couzas de tanto Credito, sendo o suppte mto christão velho pella graça de Deos. E quando o suppte por acclamar pello sancto officio q lhe valesse querião fazer desesperar, Commettesse algûa culpa, o q não lhe parece: pede o suppte de joelhos prostrado a V Illmas de tudo o perdão e da mesma sorte a Deos q gde a V Illmas e augmente a conservação de tãp sancto, e pio Tribunal por infinitos seculos. Da enxovia do Aljube de Braga 7 de janro de 1723 as.

Aos pez de V Illmas Seu mais humilde criado, e menor Cappam Thome da Motta Barretto

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload current view as TXTSentence view