PT | EN | ES

Main Menu


Powered by TEITOK
© Maarten Janssen, 2014-

CARDS3098

[1697-1708]. Carta de Arcângela do Sacramento, devota, para Roque Ribeiro, membro do Santo Ofício.

Author(s)

Arcângela do Sacramento      

Addressee(s)

Roque Ribeiro                        

Summary

Arcângela do Sacramento descreve as suas visões e experiências religiosas.
Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

J M J

Meu senhor a lus do divino espirito santo asista sempre na alma de Vmce e lhe Comonique mto da sua divina grasa Meu senhor na materia em que a Vmce falei a qual Vmce me dise lhe escrevese he que eu tomo mutas vezes a pas ao pe anto da fonca nesta forma chegava ele o seu Lado ao meu ou cabesa e dizia pas rl tecum e insinoume que respondese et com o espirito tuo e sugsediame estar com alguma afliçam ou dar grande eficacia Livre dela e o intrior ardendo em hum ardente fogo eu cudava que isto hera santo e bom e por q tal o tinha em huma ocasiamcus susedeu que ele chegou a sua cara á minha neste tempo que dava a tal pas e fiquei eu com huma tal emquietaçam que rompi em solusos perguntoun me ele que tinha lhe dise que me emquietara aquela açam diseme ele entam que nam fose tola que se ele entendera ser isso ofensa de Ds o não avia de fazer eu entam tambem assim o prezumia e tinha pa mim que ese me não avia de acomsilhar o tal fi lo prezemte a Ds nosso sor na oraçam e intriormente me diseran filha fas ser a coiza boa ou ma, a reza de instaniça Com que he feita e ainda asi deilhe comta que sempre lhe dei fielmente de tudo porque não quiria ser enguanada dise me que ahi viria eu como niso não havia maldade sosidia me tambem estar Com alguma afliçam ou dores e tambem cair de hum alsapam pa baixo e desanguentarseme huma perna e mandarme ele debaixo de santa obediensia sarase q Logo daquilo eu algumas vezes se me fazia isto deficultozo porem recoria a Ds noso sor e dizia sor se vos quereis que eu obedesa obtiei vos pois podeis e no mesmo tempo me achava Livre eu todo isto tinha por bem ora susedeu Levantaramse algumas besbirinhadas em que me Levantaram alguns testemunhos dise eu com alguma afliçam á sor eu apelo pa o dia do juizo e avemos de estar a conta entam me aveis de justificar a minha verdade não que eu queira a perdisam de nenhuma alma mas que me justifiqueis a minha verdade ouviume o dito pe e diseme não apeleis pa entam pidi com insistensia a Ds noso sor que logo que nos leve logo a juizo e no la justifique logo me te nos tres dias ultimos levei hum sumo de m romam eu neste tempo que asim me vi dise que me desem a santa unsam que moria perguntoume ele se tinha eu serteza que moria eu lhe dise que serteza serteza serta que a não tinha mas que tinha huma esperansa de que Ds me avia de que tira deste destero que ele que ouvia os gemidos dos pecadores e que asim si avi de compadeser de mim repitidas vezes me fes esta pergunta sempre lhe dei a mesma resposta dise-me tambem se lhe permitia se morese de vir boscalo eu lhe respondi que iso não estava na minha mam mas que se Ds me dese esa lisemsa que sim diseme que lhe dese a mam de que lhe permitia fi lo asim sempre com este suposto se Ds mo permitise asim que eu hia pa onde me leva-vam porque supunha que ele me não avia de acomsilhar couza contra Ds dispois dise-ram me que ele mandara dizer que eu moria dai a tres dias e ele dai a outo que eu lho disera eu tal couza não tinha dito pergunteilhe se lhe disera eu tal couza como aquela diseme que não mas que estando eu hun dia fora de meu juizo tonta disera sem perpozito algum desta sorte hun dia e hun dia e hun dia e que ele imfirira que eu quiria dizer que moria dai a tres dias e como não estava em mim que não sabia dechararme tambem trazia huma embola em que dizia trazia huma riliquia do santolho e outras de santos com a qual me tocava algumas vezes e a outras peso-as com a qual sentia os mesmos ifeitos que sentia com a pas eu cordeza tinha por boa e por tela trazia comigo porque ele ma dise que a trouxese agora dizem que o não he boa se o não he não a quero e asim a entreguei ja mais susedeu neste dar da pas que custumava ele dala mutas vezes a huma criatura desta caza por mais favor e em hu-ma ocaziam parese teve dela alguma queixa e nego lha por algums dias e a tal criattura se veio valer de mim dizendome que se o dito pe a asim ouvese de tratar sem lhe dar a pas como custumava que sendo atrevia a levar as dores e penas que tinha que na tal pas achava o alivio e refugio eu como tiinha isto por bom levada de alguma compaixam diselho a ele respondeume ele que o fizera por castiguala porem deu lha e a tal criatura dispois que ele lha deu rompeu em dizer que ja estava boa e que não quiria mais nada todos estes ifeitos me davam mais motivos pa eu o ter por bom agora dizem me que o não hera não o quero e pezame porque mais sedo o não sube pa mais sedo o aboreser e asim o abomino e dou por nulo tudo o que he mao que eu sempre fis este portesto e asim meu senhor q s em isto tenho encorido ou estou delinquênte em algoma couza humildemente peso perdam e me peza dentro da alma de o não conheser mais sedo pa mais sedo o fazer

o ceo gde a pesoa de Vmce como desejo em vinte e sinco de maio criatura Inutil vil e sem porsveito Arcangela do sacramento

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload textSentence view