PT | EN | ES

Main Menu


Powered by TEITOK
© Maarten Janssen, 2014-

CARDS3046

1757. Carta não autógrafa de Rosa Maria Egipcíaca, escrava forra, a Pedro Rodrigues Arvelos, lavrador.

Author(s)

Rosa Maria Egipcíaca      

Addressee(s)

Pedro Rodrigues Arvelos                        

Summary

A autora fala a Pedro Rodrigues Arvelos de assuntos devotos e religiosos.
Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

Bemdito e Louvado seja o santisimo sacramto e o amantisimo e sapientisimo Coração de Jezus Ma Joze Joaquim e Anna seja Comnosco e a sua grasa nos asista Snor Po Roiz Arvelos

Meu Senhor estimarei emfenito q estas Lemitadas Regras achem a v mce e a minha Snra aSestidos daquela felis saude do agrado de Ds a qual Comvem pa o mesmo Snor o servirmos em Compa de todas mas Snras e todas os meus parseiras a ma ofereso disposta ao agrado de Ds : e servisso de v mce e de ma Snra Maria Tereza de Jezus meu Snor vejo e oiso o q v mce na sua me dis queixandose dos meus descuidos e emgratidoins bem conheso o meu erro mas não posso dar satisfasão delle porq qm he escrava não pode Satisfazer o seu apetite Como dezeja eu no meu querer estaria todos os dias escrevendo a v mce se podese ser ou se eu podese ser carta viva eu o fizera pa lhe dar a v mce Conta miuda o porq lhe não escrevo mais a miudo mas eu sempre digo a meu Pe q qdo escrever a v mce q me ponha a seus pes e me desCulpe v mce bem sabe q qm tem fazenda alheia nas maos q sempre neseçita estar Com a pena na mão pa dar satifasão dela faltame então tempo pa as mais Comrrespondensias esta he a prinsipal Cauza da ma demora e se v mce me vise me havia dizer filha exzersita na tua ocupasão não percas tenpo tambem me houvera dizer ja vejo q não podes escreverme porq o tempo q estou com as criaturas pa mim ja vejo q he tempo furtado pois asim me argue o meu devino menino visto isto ele premita dar satisfasao por mim a todos os seu amigos e tãobem Inimigos e lhe de Lus pa o conheserem e os amigos pa se emflamarem mais e mais no seu amor; eu estimo mto a Rezulsão de ma Snra faustina o snor menino Jezus da prinsicula lhe conseda aquela perfeição de Religioza na alma e no corpo potensias e sentidosos a qual dezejo pa mim e apeteso pa todo o mundo eu ja disse a v mce q o Snor a pedia a ela Como Couza de v mce e digalhe ; v mce q se não emvergonhe de estar vir pa a nosa Compa pois o senhor não se emvergonhou de estar na crus e despido no no meio de dois ladrois pa nos emsinar q ele não Reprova quem q quer a sua amizade eu estou mto Comtente e os meus padres espirituaes taobem e o meu Pe Frei Agostinho q eu lhe mostrei a de v mce e me disse q v mce fizese pela pascoa o Tela ja aqui pa Coando nos nos mudarmos pa nova pa fazer numero das q hão de ficar didicadas Corasoins porq as q vierem depois hão de trazer dote pa seu sustento excepto as Convertidas o não podela v mce metela em Comvento de freiras tudo são trassas do meu no menino Ds : da prinsicula mas taobem he pa v mce verificar Com viva fee o q eu lhe disse q ele a tinha pedido pa o Recolhimento do seu Corasão e qdo eu disse a v mce a detrimanasão de Ds q elle q pedia a faustina pa si Como sua de v mce e q faustina trousese a fransisca Comsigo mas q havia de ser pa aqui por hiso ele agora o torna a lembrar tanto q v mce Comsagrar hessas duas vitimas os meus santisimos Corasoins Logo lhe hão de sesar os trabalhos o mesmo q eu digo aqui o meu Pe Fnransisco lhe ha de mandar dizer o mesmo o dizer v mce q eu me esqueso de v mce qdo he Rara a ves q o meu pensamto me não aprezenta la Comtanto q me parese q estou em Corpo e asim torno a dizer a v mce q não posso escreverlhe a miudo pois basta q não tenho domingo nem dia santo pois seos Religiozos e Religiozas observantes da Regra não podem deichar de não hir o Coro eu tãobem não posso deichar de não fazer o mesmo asim pesso a v mce pessa ao snor por mim nas suas orassoins Com mais eficasia q me dee forssas pa fazer serviso de tanta gloria sua e bem das almas e asim qdo tardar as mas Cartas v mce me desculpe logo e não derija a esquesimto pois pa fazer esta me estão arguindo de tempo furtado o snor menino me perdoieste tempo pelo seu amor a nosa Regente se o oferese Com pronta vontade pa asseitar a snra faustina ma de jezus Com os brassos abertos pa a meter nos seu Corasão se for posivel achandose porem capas de se ofeser por serva quanto mais de Se atitular por mai a qual fica e se prostra surmigida aos pes de v mces todas Com prontissima vontade as suas obediensias e eu me ofereso Como escrava vil a servir ma snra naquilo q eu puder pois ela bem sabe q eu sou emferma me ha de desculpar no q eu faltar e o meu serviso he falar o presizo q a obidiensia me consagrou e não permita o snor q eu fale o superfeulo senão o q for autoridade pa as almas e gloria do snor; aseite v mce do meu Pe frei agostinho de S S Joze mtas Lembransas e do meu Pe franssisco ele taobem ha de escrever tem andado mto doente parese q são os meus peccados q o fazem adoeser aseyte v mce amorozas l lembransas da nosa madre Regente e de todas as mas filhas q todas se recomendãso , saudozas a v mce e a minha snra e se oferesem ao servisso de v mces e aseite v mce e mas snras saudades sem conto e dee v mce tãobem lcas aos meus praseiros e praseiras de caza e a ma companheira taobem lhe dara mas saudades q eu hei de fazer mto por lhe escrever q antão lhe falarei e taobem hei de escrever o snor Pe joão ferreira e com isto não emfado mais a v mce Cuja pessoa o Çeo Gde mtos annos em seu santo servisso 11 de fevereiro de 1757 Recolhimto dos santissimos Corasoins de jezus e Nossa Snra do parto nesta sidade do Rio de Janeiro

Desta sua escrava e serva q mto lhe ama Roza Maria Egyçiaca de vera crus

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload current view as TXT