PT | EN | ES

Main Menu


Powered by TEITOK
© Maarten Janssen, 2014-

CARDS2168

1778. Carta do abade João Manuel da Silva Penha, desembargador ordinário e vigário, para José Anastácio da Cunha, matemático e poeta.

Author(s)

João Manuel da Silva Penha      

Addressee(s)

José Anastácio da Cunha                        

Summary

O autor pede ao destinatário dinheiro emprestado para comprar livros de Direito.
Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

Snr Dor Joze Anastico

Amo do C eu não tenho escrito por embaracos indespensaveis, de q jamais aliviado por cauza das Ferias, vou saber como passa das suas indispoziçoes, de q espero esteja milhorado com a differa do tempo q vai ajudando aos q como nós temos huma saude tão impertine. Dezo sinceramte q tenha nesta Festa o q; como bom amo, lhe apeteço todo o anno. sim amo, e compo Ds queira darlhe tudo o q pode contribuir pa a sua satisfam, descanço e alegria: Es-tes dons são doces certamte apezar da sua externa temporalide Elles nos conçolão na terra, e podem ser o fructo de huma boa consciencia, e fazer a nossa santeficação; asim lho dezejo, asim o peço a Ds asim o espero da sua bonde Eu vivo satisfo a sombra destes Princepes a qm tanto devo; vou trabalhando por vencer a ma fortuna, ella parece serme mais favoravel por este lado; Ds queira q o seo brilhante não seja falço; ao menos permita q eu possa atinar com a vereda q conduz a feliz Eternide ja q não pude acertar com aquella q nos faz reputar felices segundo a linguagem da terra. S A R meo amo dáme todas aquellas demonstraçoes de Benevola de q não he licito duvidar sem culpa; passados alguns dias da ma chegada me nomeou seo Dezor Ordinro, e atendo a ma precizão me nomeou tambem Vigro Gal da Comca de Vala onde me faz vencer o ordenado da Rellam Porem o q mais me obrigou he o qualeficado Decreto com q me honra etc Tenho demorado a ma partida com alguns pretextos; porem a verde he q ainda me não tem sido pocivel apronptarme: entretanto vou ao Tribunal, aonde não falta q fazer. Suponho q não terá concluido nada a respo da ma dependa Eu estimarei mto q asim seja, porq suposta a boa vonte q suponho VMce tem de fazerme favor, quero subrogallo pa outro fim menos despensavel. Os dous volumes de Leys do Snr D Joze, e os Regas Romanos, livros indespensaveis, parão na mão de certo particular desta Cide, q os por pouco mais dos 12000 q me fazia mce abonar. Eu tenho conceguido, q mos demore the ao fim deste mez; com q amigo se he pocivel fazerme este obzequeio, na prezte ocazião, recebo hum grande benefo, de q lhe serei eternamte obrigo Comtudo devo dizerlhe q eu não puderei indemnizallo antes de 7bro, porq ainda q entro a vencer, não entro a cobrar logo. Eis: aqui tudo em boa : se for pocivel está bem; alias paciencia. Eu ja daqui lhe offereço a ma caza, em Valença, e a ma obeda em toda a pte, pa o Verão pode vir acompanharme algum tempo; afirmolhe q sou sincero, e candido, e q estas expreçoes não presunctorias; de VMce pende experimentallo. Ds Ge a VMce ms as etc

Braga 16 de Abril de 1778 De VMce Amo e collega o mais veneror e C obrigo João Mel da Sa Penha.

P. S. Asim pocivel; pode dar o dinro a meo Thio q elle tem facelide pa mo remeter com promptidão.


Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload textSentence view