PT | EN | ES

Main Menu


Powered by TEITOK
© Maarten Janssen, 2014-

CARDS2012

[1724]. Carta de Francisco Gonçalves Machado Carrina, padre, para seu tio, Jorge Fernandes, também padre.

Author(s)

Francisco Gonçalves Machado Carrina      

Addressee(s)

Jorge Fernandes                        

Summary

O autor fala de encomendas que recebeu, do seu estado de saúde e da situação do seu processo.
Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

Meu thio e Sr estimei ver que V m lograva saude he minha avo e mais familia heu indo Com as minhas quartans mas ja piquenas durão me Couza de 3 oras in tendo as onze delas da espinhela me forão algumã Couza bonas

AgradeCo a minha avo a lenbranCa e a tia Ana e quanto que chamamos carne de porCo Cazo me queirão fazer esta m mais vezes que ma não Mandem e não o tome por outro caminho porque a Cauza he louvado seija quen a san tome apareCe que por ora tenho humão Prezunto intro de toresmos Como frade hem huma Cesta terei des arateis e por instantes me faCo Com outros 2 prezuntos mas confeso a V m que todos quantos toresmos tenho Como digo sendo por troca os avia de dar p somte pelos lonbos que mandou he pes porq não tenho boca pa comer toucinho nem nada como dirão os proprios que em que venhão a noutem senpre achão o jantar as quartans tem apurado e valeme Ds estar entre bona jente e onde a mimos porq fora de intre los Cais estou senpre onde quer que assista a minha vontade e em que pouCa Com algũma estimacão.

quanto o q V m me manda dizer sobre a folha coRida que mandei fico mto sastifeito sendo Como V m na sua me dis

ja mandei dizer a V m me dizera o Conigo joão de figueiredo aCazo falando em obrigacois que tinha humão sobinhiCo piqueno que não sabia V m se o poria ao estudo he me dise o mandase vir pa sua Caza e que nela asestiria inte se ordenar de Misa e que so queria lhe mandasem pão ou conpralo Ca e vestir pa que andase Com o seu que tras alcola asim veija se quer e não intenda he de forigos de aldeia que in tido he eRoico

quanto ao vental que lhe mandei vendese Como ja tenho notiCia Certos peRos dizem mandara o vental a vender pa a demanda são huns termos que faCa o q me dis na sua dando a Maria das eiras dado lhe dira V m e não por conta nem paga Como ja me diserão disera porq por ora em que pouCo alem Do q V m me mandou aCreCem 4 Mil Reis

quanto a Caxa q V m me dis he Chasco não he mas veija a Carta se Condis Com o pederico e nela vera a mandava a V m e não A minha Amiga Ana pires que sinto mto o seu rebate das alfandegas e logo não ser nesta os seus negoCios porque toda intra he minha sem ligonja

quanto aos meus negoCios Como V m me mandar dizer pa q parte Con Certeza os Cais a levão ou heu o souber aceitarei a V m dos bracos que an de acompanhar a muita justa q tenho que antes V m intenda fas bem soltara tenho este ou aquele por meu sobrinho e nestes termos fugirão he liCão do governador e inte o juis apostolico não se rir no rescrito por juis alvorarão pa onde lhe parcer he verdade q pa todas as partes me an de aChar Culpado agora na vinda da feira intendo trarão negoCiado e V m tera coudado valendose dese Clerigo que ahi emsina ou alma perdida de Miguel Luis no Reis teremos Carta de Braga em que nos darão Conta da sna dos outros peros se sahio ja o portador intregara a V m 5 Repolhos partira Com a ti ana que he o mimo que de Ca lhe poso mandar vai a mostra dese tabaCo em Caxa tan piquena por não ter outra nem tabaCo Com que a inCher Minhas lenbranCas a minha avo e a todos os de Caza. Ca anda a pratica a molher do manoel


Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload text