PT | EN | ES

Main Menu


Powered by TEITOK
© Maarten Janssen, 2014-

CARDS2008

1724. Carta de Francisco Gonçalves Machado Carrina, padre, para seu tio, Jorge Fernandes, também padre.

Author(s)

Francisco Gonçalves Machado Carrina      

Addressee(s)

Jorge Fernandes                        

Summary

O autor escreve a seu tio para o informar dos custos de um processo e para o prevenir do seu possível desfecho. Faz várias considerações sobre o preenchimento de vagas de cargos eclesiásticos.
Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

Sr thio sobre o negoCio de V m em que me falava pelo China não me oCoreu mandar dizer a V m q se a Culpa vier barata q podera o Dor Vgro gal dizer que não obriga Como foi a demoras de João de Crasto e Caso obrigue os gastos são estes liverandose Ca q tanbem me não oCoreu o mandar lho dizer de treslado da Culpa de vezita sao mais trezentos reis ao prometor noveCentos por tudo ao letrado por tudo des testois de defeza tirandoa la mea moeda trazendo Ca as testemunhas nada seguro se quite livre paga Custas porq a justiCa numCa as paga de folha corida tres vinteis de sentenCa aranCada seiscentos reis são os Custos e se V m se achara com o animo de apelar e cobrar as custas do promotor não duvide qu en braga q o an de condenar nelas com defeza Con q tome o meu Conselho e os dos mais e não deixe o seu pa q em nemhum tenpo de mim se queixe em o dia de feira dipois de ter a V m esCrito Chegou o gama logo tras da Carta que remeti a V m por Manoel da Crus por sua misão e negligencia me não troxe mandado de soltura porque asim que tive sentenCa e o pede se le pasa mas tinha o sentido de se o tirar de oito mil e oitoCentos que levou mas Como heu ja estou herdado a pacienCia não inporta visto prezo ganhar salario sem inbargo de perder a igra de CarCão de que ja tenho aprezentaCão pa juntar Coando ouver lequidaCão de saer caso danos sempre são são Cem mil reis sem o inCargo de Cura porq se as partes duvidão a sentenCa Comfirmada em todos os tribonais são tolos fiCaram Com o gosto de heu morar em miranda que he o meu heu fiCarei as Contas Ds gde a V m

Miranda e junho 2 de 1724 a de seu sobrinho Franco Machado Carrina

o Cocheiro diogo da pena dizem que coando forem noteficados pa fazerem pro. g. o facão de como se querem liverar o que en se se não recolher de vezita que não a perigo em Culpa Como a de V m sem Circonstancias q não podem ser prezos o meu proprio foi tan grande soleCitador q não falou ao felgueiras nem ao estriveiro e tornou a trazer os memoriais dou a V m a notiCia q diserão q os desinbargadores de Braga q inda q a sentenCa fose o inferno q la avião de Comfirmar se a levarem a goarda la estão tores Cartas do provedor e governador e juis de fora desta Cidade se o juis apostolico for pa lamego tenho o duque e emrique vicente he pa onde podem emliger juis apostolico q a de ser vigaro de Bispo vivo Lisboa não Cahe na dieta em que que escolher la juis apostolico intendo que os Cais fazem lenha contra sim e as almas asim o an de prometir porq se o tiverão na miranda veija hese memorial q o arcebispo prezo vio e dis que dise boas couzas dos Cais e goard q inda a de ir eso o veija e remetamo outra ves não se perca q se ade juntar no juis apos


Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload text