PT | EN | ES

Main Menu


Powered by TEITOK
© Maarten Janssen, 2014-

CARDS1039

1651. Carta de Marcos Francisco para um membro da Inquisição de Lisboa.

Author(s)

Marcos Francisco      

Addressee(s)

Anónimo110                        

Summary

O autor escreve à Inquisição a denunciar Maria Gorjoa, de cuja seriedade desconfiou por ela ter regressado a Peniche.
Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

Por via do amigo Amador da Cunha, como mais segura, remetto esta a procurar boas novas de Vmce q me venhão como as desejo. Eu, a ds graças passo com saude, certo sempre ao servisso de Vmce Por servisso de nosso sr, e pa obviar ao prejuiso, q causa em hũa Rep ver os maos sem castigo pello menos os q publicamte são avidos por taes, e tambem porq se não possa diser q nessa Sta Casa podem padrinhos algũa causa, me pareceo devia avisar a Vmce como Ma gorjoa a cutilante está nesta villa publica e patente a noticia de todos e nella pareceo averá seis, ou sete dias, conforme se dis e q veo de crasto marim, por sinal, q deu novas de hũa barca desta villa q anda pescando em Faro. Estranhase mto nesta terra a vinda desta mulher, e q não cumpra o degredo. Pello que sirva esta de noticia a vmce pello pouco ou mto q pode importar, estando certo, q me move somte o zelo, e juntamte o odio, q tenho a gente tão prejudicial ás almas, como he a fama desta boa pessoa. nosso snr gde a pessoa de vmce pa os aumentos q a Vmce lhe sei desejar

Peniche 4 de Mço 651 Cado de Vmce Mcos franco

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload current view as TXTSentence view