PT | EN | ES

Main Menu


Powered by TEITOK
© Maarten Janssen, 2014-

CARDS1030

1758. Carta não autógrafa de Rosa Maria Egipcíaca, escrava forra, para Pedro Rodrigues Arvelos, lavrador.

Author(s)

Rosa Maria Egipcíaca      

Addressee(s)

Pedro Rodrigues Arvelos                        

Summary

Rosa Maria escreve ao seu compadre, Pedro Rodrigues, a pedir-lhe desculpa por não ter respondido antes. Pede também desculpa à esposa do destinatário por não lhe escrever uma carta dirigida a ela individualmente, embora esteja a dirigir-se ao casal, porque os dois são como um só espírito.
Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

os Santisimos e amabalisimos Corasoins de J M J A J sejão Connosco e nos aseitão

Meu querido Snor Pedro Roiz arvelos estimarei mto e mto q v mce e ma Snra e todas as Snras mossas estejão asestidas de hua saude tão felis Como eu dezejo e a Ds pesso q a ma de prezentehe he boa e tanto do agrado de Ds e pesso a vmce e a minha Snra em Caridade do proximo me ajude a dar grasas ao Snor pela bondade da minha vida pois se dignou por sua emfenita piedade e mizericordia fazela a sua imatasão Louvado mil milhares de vezes no seo e na terra seja ele e bendito por estes beneficios e merces pois sendo eu qual sou tão grande e tão feia e tão Carregada de Culpas e abominasois foi Ds tão benigno Chamarme pa Companheira da sua Crus sem olhar pa qm eu sou vestirme e adornarme Com a gala da sua sagrada humanidade e darme a beber do Calis da sua saCratisima morte Payxão pa em tudo me ligar Comsigo e Com estas publicas testemunhas dar a emtender q o mundo e a seus Amigos e inimigos Como o seu Corasão Santicimo esta de pose do meu e vem buscar os de todos q de boa vontade lhos derem digo isto porq Como eu lhe dou o meu Corasão de toda a ma vontade sem Rezervar nada pa mim digo antão q esta de pose do meu Corasão peso a vmce q lhe pessa q se ele esta da pose do meu q o não Largue por nenhũ titulo nem preso mainda que haja o q houver fique esta minha dadiva emmovel e emRemidiavel Como v g se ele quizer hũa Couza e eu outra Como se ele quizer q eu va pa o inferno Louvalo quero hir porq Louvalo e amalo quero pa sempre em todos os Lugares sobre todas as Couzas hora meu Snor athe agora deilhe parte de Como paso da bondade da minha saude agora quero falar a vmce da queixa q vmce de mim tem tem Rezão e peso a vmce perdão e a ma Snra pelo amor de Ds e a queixa he por eu não Responder a vmce as suas Cartas vmce bem sabe q a oCupasão q eu tinha me não dava lugar agora ja me acho dezempedida ja posso esCrever a vmce e a ma Snra mas filhas estão boas segundo a noticia q tenho delas athe eu me emContrar Com elas no campo da vitoria a irmã faustina he soldado e he valeroza o meu santisimo Corasão de J M J ficoulhe mto agradesido pelo animimo varonil Com q se ofereseu a sahir junto Commigo pa a Campanha sem atender ao seu estado e a sua pesoa asim mesmo queria Custoume mto aComodala a ela e as mais ficarão todas debaicho de portesão e esparansa de q eu torne pa nos emContrarmos no Campo da vitoria Como ja disse ja sei q nas suas aÇoins he filha dos meus santisimos corasoins porq Comsagrandose ela filha ma de todo o corasão he sertisimo ser filhas deles não ela mas de todas q Com verdade diserem sem desprezo nem esCarneo eu sou filha de Roza porq asim ficão sendo de meus senhores e portetores Como eles me permetem estimo mto q o ajudase Ds a venser a sua demanda asim havia de ser porq vmce taobem lhe trose o q elee lhe pedio ele premita Comservalas e a todas na sua devina grasa o meu Pe me disse q o tinhão Roubado hiso sinto eu mto mas hiso foi discuido de vmce deichar a Cata soó, taobem me dise q o seu Contrario pasara desta vida nosso Snor permita q fose na sua grasa agora pessolhe q qdo tiver tiver oCazião me esCreva e ma Snra porq agora neçeçito mto das suas Consolasois peso a vmce q me deite a sua bensao e ma Snrae todas pa q o Snor me ajude a perigrinar Com a ma Crus pa os fins q ele sabe aseite vmce e ma Snra mtas e mtas Lcas e saudades minhas e vmce diga a ma Snra q se não emfade por lhe não esCrever sempre separada pa sua mce porq eu na minha estimasão e fee digo q vmces são duas almas metidas em corpo soó por hiso digo q hũa Carta basta pa anbos de dois e ma filha francisca jozefa do sacramto he mto devota do Santisimo sacramento porq handa pregando seus Rezestinhos e Cruzinhas pelas paredes pa Rezar as estasoins e quando acha seu insenso todo o seu emlejo he insensar e asim peso a Ds q as fasa santas a hũa mais a outra e a todas as mais não falo no meu padre franco porq ele esCreve a vmce la esCrevi ao Snor Pe João ferreira vmce me deé mtas Lcas ao Snor Joze Alves q eu q lhe não esCrevo agora porq não poso q logo lhe hei de escrever e qdo ele achar portador q mande bastante daquelas hervas Com q se fas Xar ; pa a Raynha aq Rapariga q tem estado mto doente e dis q so esa herva lhe fas bem e Com isto não emfado mais a vmces a Qm Ds Gde ms annos em seu Santo serviso

hoje 23 de janeiro de 1758 De Vmces Escrava mto obrigadisima Roza Maria Egyciciaca da vera Crus

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload current view as TXTSentence view