PT | EN | ES

Main Menu


Powered by TEITOK
© Maarten Janssen, 2014-

PSCR1157

1594. Carta de João de Morais, pseudónimo de Francisco Rodrigues, mercador, para Manuel Mendes Sanches, mercador.

SummaryO autor pede a intervenção do destinatário no trato das suas mercadorias na praça de Lisboa uma vez que se sente prejudicado pelo intermediário que lá tem. Pede o envio de uma carga de pimenta, dadas certas condições. Pede finalmente notícias sobre o paradeiro do filho e de um criado.
Author(s) Francisco Rodrigues
Addressee(s) Manuel Mendes Sanches            
From España, San Sebastián
To Portugal, Lisboa
Context

Há três cartas da autoria de Francisco Rodrigues, embora assinadas com o nome João de Morais, que se encontram no processo de Custódio de Carvalho, sacerdote, coadjutor da Igreja dos Mártires de Lisboa, homem com parte de cristão-novo. Custódio de Carvalho era tio de um cunhado de Francisco Rodrigues, Bento Dias. No início de 1594, Francisco Rodrigues andou fugido à Inquisição, escondendo-se durante umas semanas em casa de Custódio de Carvalho e embarcando de seguida para fora do Reino. Nos finais de 1594, encontrava-se em Sevilha, de onde enviou a correspondência aqui em causa. Custódio de Carvalho, que entretanto fora denunciado por ter ajudado Francisco Rodrigues a esconder-se e a fugir, entregou as três cartas na Mesa do Santo Ofício a 22 de dezembro de 1594, afirmando que lhe tinham sido entregues por um correio de pé, e que vários indícios o tinham levado a "suspeitar" que, embora assinadas com outro nome, eram da autoria de Francisco Rodrigues.

Support uma folha de papel dobrada, escrita no rosto e no verso do primeiro fólio e com sobrescrito no verso do segundo.
Archival Institution Arquivo Nacional da Torre do Tombo
Repository Tribunal do Santo Ofício
Collection Inquisição de Lisboa
Archival Reference Processo 3526
Folios 8r-8v; 9v
Online Facsimile http://digitarq.arquivos.pt/details?id=2303484
Socio-Historical Keywords Teresa Rebelo da Silva
Transcription Teresa Rebelo da Silva
Main Revision Catarina Carvalheiro
Contextualization Teresa Rebelo da Silva
Standardization Catarina Carvalheiro
Transcription date2015

Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

Jhus são Sebastião a 28 de nro de 94

são sebastião me derão hũa de vm q foy pa muita cõsolação pera alivio de meus trabalhos e nela vi todas as q me tem feitas que ds lhe pague lhe dar os gostos e paz q todos os de minha cassa lhe dezejamos p ela vi como a Rui fz tinha mãodado o meu recado e aqui mesmo tive carta de Rui fz de hũa pa q la mãodei buscar o ẽprego da mercadaria q mo não ẽpregara p não lhe pareçer boa ocasião. e devia ser por aver Mister o dro porq este homẽ ẽpregou o seu e davão lhe qua a 3o por cto de interesse no q trouxe. e ele iscreveme q por o dro não estar quedo o toma pa si e me dara p elle a por cto valendo na praça a dous e mo por cto q asi foi ho de Fco mẽdez Corea como vm la pode sabr agora lhe escrevo q se me quiser dar a dous por Cto p elle senão q ho mãodarei cobrar de modo q isto he o q passa e de nada me espanto que os homẽs q não tem liberdade tudo lhe soceda desta manra se a vm lhe pareçer folgarei q lhe escreva sobre isto avẽdo ocasião com a vinda de sua comadre folguei porq vejo q vai tardando a despensasão q ds mãode pa Remedio de tanto perigrino. meu filho não he vindo ate agora não sei o q la faz nẽ ho meu mulato q se foi pa la eu lhe escrevi q querendose vm svir delle lho deixasse em casa não sei o que nisto tem fto de tudo me fara m avisar qdo se ofereçer ocasião e no mais q por estas partes se ofereçe de seu sviço pois vm sabe ho gosto que ho farei e se o preço da pta ir de manra q se possa por qua vender a seis Rs e mo e me vm quiser mãodar par de cargas folgarei mto por ter o que gastar e a tpo eu darei a vm por ela o q la lhe der outrẽ não se ofereçe de presente outra cousa todos os desta sua cassa ficamos a seu serviço e nos ẽcomẽdamos em m da sra minha comadre pedindo a ds lhe de mta paz e descanso pa seu sviço como lhe nos desejamos faca me m mãodar chamar mel se la hainda estiver e sabr o q la faz e fazello vir pq tudo lhe escrevo faça o q lhe vm Mandar

Compadre e grande amigo de vm João de moraes

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload current view as TXTSentence view