PT | EN | ES

Main Menu


Powered by TEITOK
Maarten Janssen, 2014-

CARDS8020

1822. Carta de autor desconhecido para Francisco Moreira Braga, padre.

SummaryO autor dá notícias ao destinatário e diz-lhe que todos esperam a sua liberdade.
Author(s) Anónimo260
Addressee(s) Francisco Moreira Braga            
From Portugal, Braga
To Portugal, Lisboa, Convento de São Francisco
Context

O réu deste processo é um padre franciscano: o padre Francisco de Santa Rosa de Viterbo Moreira Braga, preso na cadeia do Aljube. Nos primeiros meses de 1822 a Constituição ainda não fora assinada (só o seria a 23 de Setembro), mas desde o pronunciamento de 24 de Agosto de 1820 o sistema político começara a mudar e a concentrar-se nas mãos dos liberais. Esta situação parecia não agradar ao padre Francisco Braga: este utilizava os sermões das missas que celebrava, em diferentes igrejas, para atacar a regeneração e constituição políticas, a maçonaria, e alertar para a proliferação de sociedades secretas, a conversão de todos os portugueses em pedreiros-livres, as revoltas no Brasil, etc. Algumas cartas incluídas no processo seriam de amigos seus, que lhe escreveram para a prisão. No entanto, vários textos parecem ter sido escritos pela mão do réu.

Archival Institution Arquivo Nacional da Torre do Tombo
Repository Casa da Suplicação
Collection Feitos Findos, Processos-Crime
Archival Reference Letra F, Maço 7, Número 18, Caixa 18, Caderno ?
Folios 335r
Transcription Cristina Albino
Main Revision Rita Marquilhas
Contextualization Cristina Albino
Standardization Raïssa Gillier
POS annotation Clara Pinto, Catarina Carvalheiro
Transcription date2007

Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

Rmo Sr Braga Braga 16 de Maio de 1822

Recebemos a sua estimada de 10 vemos que ainda esta opremido, sena bastante triste pa nos todos mais emfim não deixamos de rezar a N S pello seu alibio, pois he o q nos mais canceira pois todos os correios estamos a espera da sua liberdade: saverá que Moreu o filho do Melmo da Crus da Pedra o Padre q esteve comnosco Na Povoa Morreu Luis Pra do Lago; aqui veio o Religiozo organista e falou com seu Pay e o concelou bastante. O João Relegoeiro ainda não deu o dro dice q o mandava dar nessa cide asim se o não Recebeu lhe avize pa Mo dar; e juntamte Mande dizer quanto custou o Bilhete da Lotaria pa ca receber dos q emtrarão nelle que he bom pa Receber logo; eu Julgo não he precizo Mandalo porq se sahir algua coiza escuza de tornar a hir; João Manoel say no dia 18 por elle Mando os Botois q tenho e avizarey de tudo o mais que se offrecer a aLenternas se anda coidando nellas. de tudo que quizer avize Vezitas de todos Em geral

sou deveras s m do c

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload textSentence view