PT | EN | ES

Main Menu


Powered by TEITOK
© Maarten Janssen, 2014-

CARDS7101

1817. Carta de Felismina para seu irmão Jacinto Júlio de Queirós Moura, estudante.

SummaryA autora dá novidades ao irmão, mostrando o seu interesse em conhecer a senhora de quem ele tanto fala.
Author(s) Felismina
Addressee(s) Jacinto Júlio de Queirós            
From Portugal, Guimarães, Amarante
To Portugal, Coimbra
Context

Os réus deste processo são Jacinto Júlio de Queirós Moura, estudante de Direito em Coimbra, e Josefa Viana de Campos, sua amante, ambos acusados de adultério. Jacinto Júlio de Queirós Moura foi também acusado de propinação de veneno e premeditação da morte do Dr. António Joaquim de Campos, marido de Josefa Viana de Campos. No processo da Casa da Suplicação foi incluído o desenho de uma pistola, encontrada na posse de Jacinto Júlio Queirós, uma amostra do veneno utilizado, bem como várias cartas usadas pela acusação para provar o adultério.

Support meia folha de papel dobrada escrita nas duas primeiras faces e com sobrescrito na última.
Archival Institution Arquivo Nacional da Torre do Tombo
Repository Casa da Suplicação
Collection Feitos Findos, Processos-Crime
Archival Reference Letra J, Maço 129, Número 32, Caixa 345, Caderno 3
Folios [109]r-v, [100]v
Transcription Ana Rita Guilherme
Main Revision Cristina Albino
Contextualization Ana Rita Guilherme
Standardization Raïssa Gillier
POS annotation Clara Pinto, Catarina Carvalheiro
Transcription date2007

Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

Amarante quinze de maio Mano do C

Agora aqui veio o primo Bernardino e nos mostrou hua Carta tua em que lhe dizias que não vinhas a mai dice que faças o q quizeres que ja agora pa ella he o mesmo mas tabem dis que a falta de dro te obrigara a vir depreça. Meo Jacintinho eu mto dezejara conhecer essa Snra de quem tanto encareces a formuzura e boas qualides pareceme q tu mentes porq não hes digno de achar hum tão estimavel tezouro, devo dizerte que te lembres do Dor João Luis que com o seo cazamto em Coimbra se fes disgraçado eu digote isto porque não creio que tu sejas tão felis que aches hua Snra com os requezitos que nos Tens partecipado, porem cendo assim deves estimalla da nossa parte dalle agredecimtos do mto que te tem obzequiado segundo o que dizes eu se algua emfluencia tivesse com a mai pederlhehia que te deixasse ficar porem reçeio agastala mas o Bernardino basta para a mover novides não ha so a Ba. Apolinaria ja tem hum menino e o Juis de fora diceme que to partecipara deves darlhe os parabens nada mais tenho a dizerte so que vivamte me recomendes a essa Snra e dislhe que se eu soubera que as mas letras lhe erão agradaveis lhe escrevia

tua mana do C Felesmina

mtos saudozos e ternos recados meos a Exma Snra D Jozefinha Clara Alexandrina do Bom Sucesso Soza


Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload current view as TXTSentence view