PT | EN | ES

Main Menu


Powered by TEITOK
Maarten Janssen, 2014-

CARDS0040

1820. Carta do físico-mor do Maranhão, António do Rego, ao cirurgião António José Nunes.

SummaryO autor informa o destinatário do acolhimento que o seu filho está a merecer em São Luiz do Maranhão.
Author(s) António do Rego
Addressee(s) António José Nunes            
From América, Brasil, Maranhão
To S.l.
Context

Em 1823, António José Nunes, cirurgião do Hospital Nacional de S. José, processou o próprio filho por culpas de vadiagem. Depois de uma sentença de degredo para a Índia por cinco anos, o pai reconsiderou e perdoou o filho, Ezequiel Nunes, de modo que a sentença foi revogada. Na súplica que o pai dirigiu ao Corregedor do Crime do Bairro da Rua Nova (Lisboa) está o elenco das suas queixas, que incluem a memória da passagem do rapaz pelo Brasil. O processo inclui também duas cartas de 1823 de cirurgiões do Hospital Nacional de São José (um explicador particular e um professor particular de anatomia) atestando que Ezequiel Nunes era "muito descuidado nas obrigações de estudante". Note-se que, num período de grande agitação política, – o Vintismo mostrava-se incapaz de resolver os muitos problemas do Império Luso-Brasileiro – as redes de apoio e de clientelismo pareciam continuar a funcionar e a Índia permanecia como estímulo corretivo. Transcrição normalizada da referida súplica [Cad. [1], Fl. 2r]: «Diz António José Nunes, cirurgião aprovado, morador na Rua dos Algibebes [...], que entre outros filhos que tem, há bem assim Ezequiel Nunes, ao qual havendo-lhe dado a educação necessária, procurando-lhe até uma loja para aprender o ofício de serigueiro de chapéus da qual fugiu, passou o suplicante aplicá-lo à sua mesma Arte de Cirurgia no Hospital Real de S. José, que exercitou por espaço de 3 anos, porém inutilmente sem estudar, vadiando e praticando desatinos, de sorte que o suplicante, para salvar o seu crédito e evitar a total ruína do dito suplicante, conveio que ele fosse para o Maranhão, sendo recomendado ao Físico Mor António do Rego, o qual logo o empregou no hospital da mesma cidade, vencendo 10{#//teiHeader/fileDesc/sourceDesc/letDesc/additional/note[@subcat="context"]}0 réis por mês e ração; mas no fim de 6 dias, desamparou e fugiu para bordo de uma charrua e vindo a terra cometeu a aleivosia de extorquir um relógio e cadeias de ouro ao dono da casa em que estava hospedado [fl. 2v] passando a vender os ditos trastes por cujo facto foi preso e voltando a esta cidade, lhe fez o suplicante assentar praça no Batalhão n.º 3, destinado ao Rio de Janeiro, de que logo deu baixa. O suplicante ainda quis ver se o dito seu filho tomava novo caminho evitando a sua ruína, tornou a mandá-lo para o Hospital Real de S. José aonde anda há [justo?] de 4 anos, inutilmente, porque se entregou ao ócio e vadiagem, inda lhe extorquido de casa alguns livros e miudezas. [...]».

No suporte, há abreviaturas que foram riscadas pelo destinatário quando entregou a carta ao juiz enquanto prova: trata-se das abreviaturas de "Ilustríssimo" (no sobrescrito e na cabeceira da carta) e de "Vossa Senhoria"; presumivelmente, as rasuras foram motivadas por regras de etiqueta (afetação de modéstia).

Support meia folha de papel dobrada escrita na primeira face e com sobrescrito na última.
Archival Institution Arquivo Nacional da Torre do Tombo
Repository Casa da Suplicação
Collection Feitos Findos, Processos-Crime
Archival Reference Letra E, Maço 1, Número 24, Caixa 2, Caderno [2]
Folios 6r-7v
Transcription Sara de França Sousa
Main Revision Rita Marquilhas
Contextualization Miguel Cruz
Standardization Clara Pinto
POS annotation Clara Pinto, Catarina Carvalheiro
Transcription date2009

Javascript seems to be turned off, or there was a communication error. Turn on Javascript for more display options.

Illmo Snr Antonio Jose Nunez

O seu filho chigou a este paiz e foi recebido por mim, como se fosse meu, e he o maes que lhe podia fazer, teve hum lugar no hospital de Enfermeiro de Cirurgia, tem caza pa viver, tem ração, que lhe deve chigar bem, e tem no fim de cada mes 10$000, e pode no fim de algum tempo ter aproveitado em Cirurgia pratica e vir a ser hum Cirurgião de Rotina; não estava ao meu alcance o fazer-lhe maes, aliás o faria, queira Ds que elle não esqueça brevemte os bons concelhos, que V Sa lhe havia dar, e que não siga a estrada geral, dos Rapazes que vem-em dahi; pois em passando a Linha paresse, que degenerão a todos os respeitos. Eu terei mto gosto em poder sempre partecipar-lhe felizes noticias, de seu fo porque com hisso parteciparei do mmo gosto

o Amo De VSa Antonio do Rego Maranhão 20 de 8bro de 1820

Legenda:

ExpandedUnclearDeletedAddedSupplied


Download XMLDownload textSentence viewSyntactic annotation