PT | EN | ES

Main Menu


Powered by TEITOK
© Maarten Janssen, 2014-

Sentence view

1793. Carta de autor anónimo para destinatário anónimo.

Author(s)

Anónimo402      

Addressee(s)

Anónimo403                        

Summary

O autor, provavelmente advogado, tenta descansar um preso sobre o andamento do seu processo e o pedido de que pelo menos saia da cela do segrego. Dá-lhe também notícias de uma mulher, referida como Joaquina, que estará bem. Como se refere o marido de Joaquina, tratava-se provavelmente de uma acusação de adultério.

Text: -

Tags:


[1]
Tenho recebido algumas algumas suas; as quais agora respondo pois ainda me não foi possivel responderlhe
[2]
em pro vou a dizerlhe qe tenha constançia e não se desconsole qe se tem visto cazos mto mais feios e em breves dias obterem liberde
[3]
emqto a Joaqa não tenha cuido pois se lhe tem contribuido com o q perçiza;
[4]
e ella he sabedora das cartas qe vmce tem mandando;
[5]
emqto o qe manda proguntar se lhe pode mandar o seu signal mandemo qe logo lhe q he intregue;
[6]
e a respto do requerimto pa o principe ja mandei o q vmce me mandou ultimamte pa o sezinando; a ver se se pode fazer alguma couza pois julgo qe he a pessoa qe vmce alega;
[7]
e jumtamte elle ve o q vmce tem dito em proguntas pa milhor se fundar tanto a respto do dinro qe lhe ganharão como do marido de Joaqa
[8]
e ja se mandou um requerimto ao Regedor a ver se o mandava tirar de segredo
[9]
elle despachou que po ora não havia qe deferir mas isto ja foi a mais de 8 dias;
[10]
e fique descansado qe tudo qto lhe eu poder fazer tudo lhe ei de fazer tanto pla sua amizade; como pla endigençia a qe o vejo reduzido; a qual eu bem dezejara estar na ma mão com qe lhe pudeçe valer; pois conheça qe sou seu Amigo do C
[11]
emqto ao signal; pode mandalo pa se emtregar a Joaqa e ella por ora esta boa;
[12]
- e o mais ja foi pa a mão do sezdo

Text view